A viscosidade é uma propriedade importante de fluidos que descreve sua resistência ao fluxo e está relacionada ao atrito interno do fluido. O tipo mais comum de comportamento de fluxo é o fluxo cisalhante, no qual camadas de fluido se movem de maneira relativa umas às outras em resposta à força de cisalhamento. Essa força externa assume a força de uma tensão de cisalhamento que é definida como a força que atua sobre uma área unitária de fluido e resulta em uma velocidade gradiente ao longo da espessura da amostra, denominada velocidade de cisalhamento. A viscosidade cisalhante ou dinâmica relacionada a este processo é determinada pela proporção entre a tensão e a velocidade de cisalhamento, conforme ilustrado.

Fluidos não newtonianos

Muitos fluidos simples são classificados como newtonianos, o que significa que sua viscosidade não depende da quantidade de cisalhamento aplicado. Exemplos são água e hidrocarbonetos simples. Conforme a complexidade do fluido aumenta, por exemplo, pela inclusão de bolhas, gotas, partículas ou polímeros, os fluidos podem assumir comportamentos mais complexos e exibir uma resposta não newtoniana, na qual a viscosidade depende da quantidade de cisalhamento aplicado. Esses tipos de fluidos são normalmente chamados de fluidos estruturados ou complexos e seu comportamento pode ser mais bem descrito usando um reômetro, que pode medir diversas viscosidades em uma variedade mais ampla de velocidades de cisalhamento, tensões de cisalhamento e temperaturas, em comparação com um viscosímetro simples.

Esse comportamento não newtoniano é comum em vários produtos industriais e comerciais, incluindo pasta de dente, maionese, tintas, cosméticos e cimentos, que normalmente são fluidos de desbaste de cisalhamento, onde a viscosidade diminuiu conforme a velocidade de cisalhamento aumenta, embora o espessamento do cisalhamento possa ocorrer em alguns fluidos altamente estruturados. 

Aplicações da viscosidade 

Para a maioria dos produtos, a viscosidade deve ser alta em baixas velocidades de cisalhamento para evitar sedimentação ou recessão, porém baixa em altas velocidades de cisalhamento para facilitar a aplicação ou processamento. Portanto, uma única medição não é suficiente para descrever a viscosidade de tais materiais, e a viscosidade deve ser medida em uma variedade de velocidades ou tensões de cisalhamento, ou ao menos em uma velocidade de cisalhamento relevante ao processo ou aplicação. Os fluidos não newtonianos também podem exibir outros fenômenos, como, tensão de escoamento, tixotropia e viscoelasticidade, que podem ter um grande impacto no comportamento do material e no desempenho do produto.


Outros parâmetros de viscosidade relacionados à dispersão são as viscosidades relativa, específica e intrínseca, que podem fornecer uma medição da contribuição do soluto ou da fase dispersa à viscosidade de uma solução ou dispersão. A maneira mais fácil de determinar esses parâmetros é usar um viscosímetro diferencial, como o que é usado com o sistema de Cromatografia de permeação em gel (GPC) OMNISEC.

Embora viscosímetros simples costumem ser suficientes para descrever o desempenho de líquidos newtonianos em uma variedade pequena de velocidades de cisalhamento, para fluidos não newtonianos e aplicações onde uma variedade maior de velocidades de cisalhamento precisa ser avaliada, viscosímetros e reômetros mais avançados são necessários. A Malvern Panalytical oferece uma variedade de viscosímetros e reômetros avançados para atender a essas necessidades e que podem ser usados para;

  • Perfis de viscosidade de fluidos não newtonianos dependentes do cisalhamento para simular as condições de processamento ou de uso.
  • Impressão digital da viscoelasticidade de materiais para determinar o comportamento como sólido ou fluido.
  • Otimização e avaliação da estabilidade da dispersão.
  • Determinação da tixotropia de tintas e revestimentos para aplicação de produtos e qualidade do acabamento final.
  • Impacto da arquitetura molecular dos polímeros sobre a viscoelasticidade para processamento e desempenho no consumo final.
  • Comparação do desempenho de produtos alimentícios e de higiene pessoal quanto à capacidade de bombeamento ou espalhamento.
  • Perfis de cura completos para sistemas de adesivos ou gelificação.
  • Triagem de pré-formulação para terapêutica, especialmente biofarmacêuticos.